Quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

Acabei de saber, pelo Francisco, da morte da Isabel Sousa. Perde-se uma das melhores bibliotecárias do país. Ela e Ana Luísa Ramos fizeram um trabalho de excepção, cada uma na(s) sua(s) casa(s) dos livros.

Conheci-a quando convidou as Quasi para se associarem à Poesia à Mesa, em São João da Madeira. Fizemos um livro em conjunto, levamos lá autores, estivemos presentes (lembro uma sessão admirável com o António Ramos Rosa). Pelo bem público, em parceria desempoeirada com os privados. Sem aquela forma de estar tão políticó-portuguesa de que devem ser os privados a financiar o bem público. (Mas disto falarei noutro post.) Era uma mulher que mexia, que bulia. E já há tão pouca gente neste país com vontade de bulir.



publicado por JRS às 20:29 | link do post | favorito

mais sobre mim
posts recentes

O Mário

Mistress

FCF

Mira Técnica

Easter Message

PPD/PSD

It is

Canção Triste

Portugal

A Moral da Coisa

arquivos

Março 2013

Fevereiro 2013

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

blogs SAPO
subscrever feeds