Domingo, 10 de Outubro de 2010

No Terreiro do Paço há uma instalação da Joana Vasconcelos. É uma piscina daquelas que se compram na berma da estrada, azul, claro, feita de plástico. Está ao alto, presumo que a celebrar a República. Mas o que a torna interessante é ter a forma de Portugal.

Minto. O que verdadeiramente a torna interessante é ter profundidade.

Agrada-me a metáfora, que imagino ter sido aquilo em que inspirou Joana Vasconcelos para esta instalação: num país a ir ao fundo, porque não indicar qual a profundidade máxima? E, acreditem, se fizermos uma regra de três simples, ainda estamos a falar em algumas centenas de quilómetros...

A pergunta que fica é: quem deixa de meter água em Portugal?



publicado por JRS às 19:17 | link do post | favorito

mais sobre mim
posts recentes

O Mário

Mistress

FCF

Mira Técnica

Easter Message

PPD/PSD

It is

Canção Triste

Portugal

A Moral da Coisa

arquivos

Março 2013

Fevereiro 2013

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

blogs SAPO
subscrever feeds