Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

Tenho pensado longamente nisto. Vou no carro a ouvir a TSF - penso nisto. Estou a ver a SIC Notícias - penso nisto. Leio mais uma página da biografia do António (o Salazar, que a do outro é um manual de auto-ajuda daqueles mesmo fracos) - penso nisto. Porque razão, em 2010, num país livre, onde existe liberdade de expressão e um Estado de Direito que permite a defesa dos ofendidos, porque razão alguém ainda tem um blogue anónimo? Poderia entender - mas mal, confesso - se o blogue fosse muito crítico contra o Estado e a pessoa em questão tivesse um cargo técnico no aparelho do mesmo Estado. Não, nem isso poderia entender. Se se é crítico contra o Estado mas se se é competente não se precisa do lugar no aparelho do Estado: a competência ganha sempre (mesmo que às vezes não pareça) no sector privado. A pergunta é esta e com ela resto o meu caso em relação ao lone ranger:

Ó mascarilha, mas porque raio de razão  não assinas por baixo e sem medo as tuas considerações sobre poesia, a manteiga de amendoim e o erotismo do Casimiro de Brito? Alguma razão importante deve existir para tanto secretismo...



publicado por JRS às 21:06 | link do post | favorito

8 comentários:
De Anónimo a 23 de Setembro de 2010 às 22:57
Tenho uma pergunta mais interessante do que essa: Se o Máscara&Chicote assinasse com pseudónimo, fazia alguma diferença? (Para além de calar estas lamúrias, bem entendido . . .)

Já não é a primeira vez que vejo gente incomodada com o anonimato dos blogues e dos comentários, e continuo sem perceber a constante desvalorização de um argumento por não vir assinado, como se as credenciais do autor tivessem alguma relevância para o caso. Se um argumento é sólido, não há volta a dar-lhe, e quaisquer apelos à autoridade são uma muleta que só favorece os preguiçosos e os intrujões.

Assinado: Anónimo


De JRS a 23 de Setembro de 2010 às 23:13
Caro Anónimo
agradeço-lhe a visita e fico na expectativa de um dia saber quem me visitou tão incomodado com o meu pretenso incómodo. Mas ou não lê o que escrevo ou pura e simplesmente quer ler o que não está lá escrito: eu não estou minimamente incomodado. Mas é que nem um bocadinho. Agora que achei interessantíssima a maneira como conseguiu fazer da cobardia uma vitória, isso achei. E por isso mesmo aceitei o seu comentário. É um bom exemplo da pertinência da minha pergunta. Mais uma vez, muito obrigado pela sua visita.
Sobre a sua pergunta: os argumentos para a utilização de um pseudónimo não passam, claro está, pela ausência de um espinha dorsal forte que aguente um indivíduo em pé a assumir as suas opiniões. Coisa que, pelos vistos, não tem coragem de fazer. Assinado: Jorge Reis-Sá.


De Paulo Nelson a 26 de Setembro de 2010 às 03:23
acho piada ao fortinbras e a capacidade para fazer rir.
talvez isso é que tenha feito com que já poucos levem a serio o que diz. o ze mario silva por ex ate goza com as faltas de actualizaçao do blog e exige-lhe o regresso nos seus posts. e nos sabemos q ele chegou a difamá-lo...

quanto ao gosto da poesia, parece-me que o mascarilha so gosta dos autores da editora Averno, os menos complexos para quem aprecia poesia... chegou ate a dizer que o herberto helder da tropeçoes nos poemas, o que provoca a gargalhada geral.

PS: o manuel a. domingos, na altura da declaraçao, queria se calhar publicar na Quasi. nao conseguiu e o reis-sá caiu no seu ranking de poetas. típico. qualquer dia ha declaraçao a colocar o editor da Deriva num top ten qualquer. a ver se pega.



De manuel a. domingos a 27 de Setembro de 2010 às 10:06
Caro Senhor Paulo Nelson:

se leu a declaração com atenção verá que nunca foi minha intenção publicar nas Quasi. o Senhor Jorge Reis-Sá poderá isso confirmar, se estiver lembrado, pois enviou-me um e-mail a perguntar isso mesmo. respondi-lhe que não e ele deu-me, como referi na minha declaração, a sua opinião de poeta.

Quanto à parte do editor da Deriva. Sinceramente considero a "boca" de muito baixo nível. Não conheço o referido editor. Admiro, no entanto, a sua linha editorial, tal como admirei, até certo ponto, a linha editorial das Quasi (a maior parte dos meus livros de poesia são dessa malograda editora). Talvez um dia tenha de escrever uma declaração afirmando isso.

Grato por tudo.

Com os melhores cumprimentos,

manuel a. domingos


De Anónimo a 27 de Setembro de 2010 às 12:00
Sá, pá, é simples.

HUMOR

Fortinbras 4 - Hífen Sá 0

Percebes?


De JRS a 27 de Setembro de 2010 às 19:44
4 secas? Assim, sem mais? Sendo sportinguista acho esse resultado muito aceitável. Há outras coisas (deixa ver, sei lá, tipo... a coragem de escrever em nome próprio, sem a cobardia do anonimato) onde o resultado deve ser mais parecido com o do Arsenal-Braga. Certamente a vosso favor, claro.


De Anónimo a 28 de Setembro de 2010 às 16:31
Sá, tente ter piada, esforce-se, vá. É penoso ler estas suas respostas. Faça-nos rir um bocado, pelo menos tanto como aquela sua livraria metálica fez. Consegue?


De Luís a 29 de Setembro de 2010 às 15:51
O mascarilha, o Rui Almeida? Essa conseguiu pôr-me a rir. Pobre Rui!

Quanto ao senhor Herberto não dar nenhum tropeção, até parece que se disse alguma heresia. Não me parece que seja saudável colocar seja quem for num Olimpo de intocáveis.

Bom Outono.


Comentar post

mais sobre mim
posts recentes

O Mário

Mistress

FCF

Mira Técnica

Easter Message

PPD/PSD

It is

Canção Triste

Portugal

A Moral da Coisa

arquivos

Março 2013

Fevereiro 2013

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

blogs SAPO
subscrever feeds