Quarta-feira, 2 de Março de 2011

O Roger Taylor é o maior do mundo. Quer dizer, nunca foi - mas é. Comecei a tocar bateria por causa do homem, é certo, mas tenho - sempre tive - a consciência que ele é bem capaz de ser o mais azeiteiro dos Queen. E isso é um feito assinalável para quem tinha como companheiros de aventura o mais azeiteiro vocalista que alguma vez existiu, um astrónomo que conseguiu manter o mesmo penteado 40 anos seguidos (and still counting...) e um baixista que... esse era só o baixista, como quase todos os baixistas, não conta.

Roger Meddows-Taylor: bom músico - certo; anos 70 bem vividos - certo; compôs a These are the Days of Our Lives, e isso já lhe dá alguns pontos. Claro que, como bem se nota pelo video em baixo, chegou lá por tentativa e erro: em 40 anos de prática lá conseguiria sempre compor alguma coisa de jeito.

Esta música, que aqui apresento, é capaz de ser a pior música alguma vez gravada. Depois de ouvir isto, fico com a sensação que o São Lágrimas do Zé Cabra é Mozart.

Roger Taylor compôs a música com a linda idade de 58 anos. É por estas e por outras que depois começamos a concordar com a idade de reforma dos gregos...

 

 

 

Mas para que não fiquem assim tão mal impressionados, ouçam lá a que importa. E não, não foi o Freddie Mercury quem compôs esta canção de despedida...

 

 



publicado por JRS às 00:25 | link do post | favorito

mais sobre mim
posts recentes

O Mário

Mistress

FCF

Mira Técnica

Easter Message

PPD/PSD

It is

Canção Triste

Portugal

A Moral da Coisa

arquivos

Março 2013

Fevereiro 2013

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

blogs SAPO
subscrever feeds