Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011

Sei bem das minhas qualidades e dos meus defeitos enquanto editor e escritor. Como são actividades adjacentes, as qualidades de uma profissão costumam ser as qualidades de outra. E o mesmo com os defeitos. E um deles, grande, é ser um péssimo revisor. Mas, como diz o outro, para isto é que existem os revisores.

Um anónimo "destro" (?) [nota: irei em breve ver como funciona verdadeiramente a questão da moderação dos comentários, que pelos vistos a facilidade de se ser anónimo ou, pior, fazer-se passar por outra pessoa, é muito grande] fala num comentário a este post de duas gralhas aí existentes como se isso fosse questão de vida ou de morte. Não é. As gralhas, infelizmente, são o pão nosso de cada dia para quem escreve. Neste caso, escrevendo como escrevo directamente no blogger, às vezes passam. Santinho. Só quem não escreve não as faz. Ou então quem acha que ter trocado de ordem duas consoantes é mais uma boa razão para insultar as pessoas. Desta vez, o termo é a dar para o lerdo. Muito obrigado!



publicado por JRS às 20:09 | link do post | favorito

1 comentário:
De Bruno Marques a 15 de Janeiro de 2011 às 00:41
Compreendo perfeitamente isso das gralhas. Só acontece com quem escreve. E sim, os revisores são importantes e existem por algum motivo. Tenho esse péssimo hábito de também nunca ler o que escrevi quando termino.

Estou contigo! :)


Comentar post

mais sobre mim
posts recentes

O Mário

Mistress

FCF

Mira Técnica

Easter Message

PPD/PSD

It is

Canção Triste

Portugal

A Moral da Coisa

arquivos

Março 2013

Fevereiro 2013

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

blogs SAPO
subscrever feeds