Quarta-feira, 24 de Novembro de 2010

Estava num hospital às oito da noite. Que funcionava, mesmo com enfermeiros e auxiliares com dísticos a dizer "trabalho mas estou em greve". E que funcionava - funcionou - bem. Mas eis que, no meio da sala de espera, o telejornal se inicia com um José Rodrigues dos Santos contundente: "Em Famalicão, gerente do Intermarché é detido depois de atropelar duas funcionárias do piquete de greve". O meu coração tremeu - aconteceu uma coisa em Famalicão digna de registo na abertura do telejornal e não estava relacionada com a descida do clube para a terceira divisão? Mas onde, em Famalicão? Ao lado da igreja onde fui baptizado e baptizei o meu filho, ali, em Calendário. Liguei imediatamente à minha avó, que mora a cinquenta metros e que me disse, como se fizesse greve mesmo reformada: "não paga aos funcionários e ainda os atropela". Morte ao artista - é deixá-lo penar na cadeia! Mas, pensemos: o que são piquetes de greve?

Diz a "Lei da Greve" que um piquete de greve "pode ser organizado pela associação sindical ou pela comissão e greve para persuadir por meios pacíficos os trabalhadores a aderirem à greve". Diz o dicionário que é um "grupo de grevistas geralmente colocados à entrada do local de trabalho que asseguram a execução das instruções de greve."

Antes de ser apelidado de reaccionário e fascista - como vou ser - pode alguém explicar-me qual o sentido que faz num país livre como aquele onde vivemos, onde existe o direito à greve e - atenção - o direito a não fazer greve, onde existem tribunais, liberdade de expressão, de culto, etc e tal, o sentido que faz, dizia, existir gente que tem o direito de persuadir os trabalhadores a aderirem à greve? Ou, como vem no dicionário e mais acertadamente, gente que deve asseguar as instruções da greve? Reparem, retirei propositadamente o "pacificamente" da primeira frase. Porque não consigo ver nada de pacífico - mesmo que, em vez de atropelamentos por parte da entidade patronal, tenhamos uma coisa que se chama coaçção psicológica quando não física do piquete ao resto dos trabalhadores - em ter um grupo de marmanjos a "persuadir" os, claro, pouco esclarecidos.

É importante dizer que o que o senhor do Intermaché fez é errado, a todos os níveis. Até porque o homem é o patrão e esse não tem o direito de, sem persuasão, ajudar os trabalhadores que quiserem (entregues ao grande capital ou simplesmente lambe botas) a ir trabalhar. Agora talvez não fosse uma péssima ideia um fura greves mandar senão um carro pelo menos algumas frutas para cima do, consagrado na lei, piquete da greve... Mas isto sou só eu a divagar, fascista e reaccionário.

Hoje muita gente fez greve. Concordando ou não, estão no seu direito. Respeito, aplaudo a manifestação de cidadania que representa. Mas eu hoje não fiz greve. Não achei que devia. E pelos vistos, os deputados, que não podem, também não fizeram. Tirando alguns do PC e do BE que foram fazer "trabalho político" para junto de um ou outro piquete. Talvez fosse de ver na justificação para a falta de presença no parlamento se é "trabalho político". Nada como trabalhar para que outros não possam - se o quiserem.

 

 

[Em cima, a igreja de São Julião, em Calendário, que cito no texto. O Intermarché é ali na entrada que se vê à direita na fotografia. Quem desce a rua encontra à esquerda o Campo dos Bargos, onde joga o meu clube. No lado esquerdo (fora da imagem, claro) o cemitério. E a cinquenta metros, a casa dos meus avós. É por aqui que a Justina Ferreira Belo deambula "Todos os Dias"]



publicado por JRS às 21:58 | link do post | favorito

3 comentários:
De Jorge Paulo Oliveira a 25 de Novembro de 2010 às 10:41
Excelente post.


De JRS a 25 de Novembro de 2010 às 13:02
Caro Jorge
obrigado pelo comentário. Está na assembleia? Ou continua de alguma maneira ligado ao executivo camarário? Se estiver cá por Lisboa, diga coisas. Vamos almoçar um dia destes. Desde que não o coloque como "trabalho político" :)
Um abraço
Jorge


De Francisco Rodrigues a 21 de Dezembro de 2010 às 17:56
E a minha infância ali tão perto.. :D
Abraço


Comentar post

mais sobre mim
posts recentes

O Mário

Mistress

FCF

Mira Técnica

Easter Message

PPD/PSD

It is

Canção Triste

Portugal

A Moral da Coisa

arquivos

Março 2013

Fevereiro 2013

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

blogs SAPO
subscrever feeds